Em: Eventos passados

22/06 – CDL Niterói marca presença em audiência na Alerj e apresenta demandas do varejo

Pontos foram analisados e reunidos a partir de encontros do PNDV.

 

A audiência pública realizada nesta quinta-feira (22) pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Rio de Janeiro (FCDL/RJ) em conjunto com a Comissão de Economia, Indústria e Comércio da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) foi positiva. É o que afirma o presidente da CDL Niterói, Fabiano Gonçalves, que participou do encontro.

“Estive presente não apenas representando o movimento lojista, mas, também, como representante do poder público, dos secretários municipais. Posso afirmar que esse diálogo aberto e a ligação mais próxima entre o setor de varejo e o poder público será de grande valor para o desenvolvimento conjunto dos negócios, dos municípios e do Estado. Foi aberto um canal de interlocução e já pudemos ver que outras portas serão abertas”, destaca Fabiano Gonçalves, que ainda falou sobre a falta de segurança jurídica e política no país, com mudanças das regras em pleno jogo. “’Nós precisamos nos unir para mudar o status quo do Rio e, hoje, o nosso Estado passa por um momento crítico”’, apontou.

A audiência com o tema “Políticas públicas para o setor de varejo no Rio de Janeiro” teve como objetivo apresentar demandas reunidas após encontros do Programa Nacional de Desenvolvimento do Varejo com participação e líderes do sistema CNDL de todo o Estado. “O momento de crise é, também, oportuno para atuarmos juntos na determinação de iniciativas comuns que facilitem a atividade do comércio, que assegurem a retomada do crescimento econômico, com planejamento e direcionamento”, ressaltou Marcelo Mérida, presidente da FCDL/RJ.

As lideranças do sistema CNDL do Estado apresentaram 34 demandas aos representantes do Legislativo. Marcelo Mérida lembrou que a carga tributária deixou de ser a maior preocupação do varejo, como foi no passado, e destacou que a os problemas relacionados à segurança pública ganharam esse espaço. Mérida citou que os empresários, da capital e do interior, identificaram uma necessidade de expansão do uso de câmeras de vigilância e conselhos de segurança e criação de um plano nacional para evitar roubos de cargas nas estradas e rodovias.

O presidente da Comissão, deputado Waldeck Carneiro, e os deputados Bruno Dauaire, Carlos Osório e Ana Paula Rechuan propuseram a criação de uma Frente Parlamentar do Varejo e Comércio na Alerj. “Em parceria com a Comissão de Economia, vamos provocar os parlamentares do Rio de Janeiro que estão no Congresso e integram a Frente Parlamentar para discutir as pautas nacionais. Para o segundo semestre, vamos propor uma agenda com prefeitos dos municípios do Estado porque várias demandas dependem de iniciativas dos executivos municipais”, declarou Waldeck Carneiro.

Como resultados da audiência, os deputados também apontaram mediações com a Secretaria de Segurança para debater o problema de roubo de cargas, com a Secretaria de Fazenda para discutir a simplificação tributária para o setor do varejo, e com a Faetec e universidades para propor programas de formação direcionados aos empreendedores e trabalhadores do setor. “O varejo é o setor que mais emprega, que contribui com a produção de riquezas e é constituído, em maior parte, por micro e pequenas empresas. É muito importante pensar em políticas públicas voltadas para esse setor”, concluiu o presidente da Comissão de Economia, Indústria e Comércio.

Para Marcelle Rodrigues, analista de sistemas de políticas públicas do Sebrae RJ também presente na audiência, as micro e pequenas empresas devem ter tratamento diferenciado. “O Rio tem avançado muito para melhorar, entretanto o Brasil continua sendo um país muito difícil de se abrir uma empresa. Se o Legislativo se apropriar desta temática e simplificar procedimentos, tornará o ambiente mais favorável e importante para que essas MPES se desenvolvam”, finalizou Marcele.