Em: Notícias CDLNITEROI

Consumidores pretendem gastar até R$ 500 com presentes de Natal

Dos consumidores que pretendem comprar presentes neste Natal, 76% esperam gastar até R$ 500. Enquanto 24% afirmaram que têm intenção de comprar presentes com valores acima de R$500, mostra pesquisa realizada pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), divulgada na quarta-feira (24).

 

 

De acordo com a pesquisa, o número de consumidores que pretendem gastar até R$ 100 se manteve igual entre 2011 e este ano, com 11%. Considerando aqueles que querem gastar entre R$ 100 e R$ 200, o percentual passou de 24%, em 2011, para 26%, neste ano. Já a maior parcela dos entrevistados (39%) pretende gastar entre R$ 200 e R$ 500. No ano passado, 37% tinham essa intenção.

O fato de os consumidores quererem gastar menos neste Natal, de acordo com o coordenador do estudo, Miguel José Ribeiro de Oliveira, pode ser atribuído aos mais de 70% de consumidores que têm dívidas no cheque especial e cartão de crédito, e pretendem utilizar o dinheiro do 13º salário para regularizar a situação.

Considerando as faixas de valores acima de R$ 500, é possível perceber que, de maneira geral, houve queda na intenção de gastos, considerando os últimos dois anos. O percentual de consumidores que pretendem gastar entre R$ 1 mil e R$ 2 mil é de 8% neste ano, enquanto em 2011, 10% dos entrevistados tinham essa intenção.

O levantamento ainda mostra que 75% dos consumidores irá utilizar os recursos do 13º salário para comprar eletroeletrônicos e eletroportáteis, enquanto 74% pretendem comprar um celular.

Pagamento

Para pagar as compras de Natal, os consumidores devem utilizar tanto os recursos do décimo terceiro salário como financiamentos. Na hora de passar no caixa, os consumidores darão preferência ao cartão de crédito, que obteve 80% das citações.

Na lista das formas de pagamento que devem ser utilizadas para quitar as compras de Natal, 77% dos consumidores disseram que pretendem comprar à vista. Já as compras feitas por meio de carnês foram citadas por 37% dos entrevistados e 22% disseram que devem pagar os presentes com financiamentos bancários.