Em: Notícias CDLNITEROI

Cuidados para evitar compras por impulso

No geral, os consumidores virtuais gastaram uma média de R$ 257,00 na última compra de brinquedos e artigos para bebês e crianças em 2014. Ainda que alguns itens sejam essenciais, muitos produtos comprados podem ser supérfluos e a compra por impulso é facilitada pela internet.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o consumidor deve ser cuidadoso ao comprar produtos pela internet para uma faixa de idade tão pequena. “Os bebês e crianças crescem muito rápido e o consumidor deve avaliar se vale a pena comprar roupas ou brinquedos não essenciais e que daqui a seis meses ou um ano será abandonado”, diz Kawauti.

Para a economista, os sites facilitam promoções que fazem os consumidores pensarem que os produtos estão imperdíveis e isso leva à compra desnecessária: “os pais devem estar atentos aos valores dos produtos, comparar os preços de diversos sites, nacionais e internacionais e, principalmente, perceber se a compra é muito importante para seus filhos no momento”.