Em: Notícias CDLNITEROI

Dívidas em atraso são concentradas nas faixas de 30 a 49 anos

Os adultos com idade entre 30 e 39 anos são os brasileiros que detém a maior parte das dívidas atrasadas no país – 29,15% do total. “Isto acontece porque nesta fase da vida os gastos como a compra de imóveis, carros e despesas com os filhos são bastante consideráveis”, justifica a economista Marcela Kawauti.

Já o crescimento de dívidas atrasadas foi maior entre os consumidores mais velhos: crescimento anual de 10,18% entre os brasileiros com idade que vai de 85 a 94 anos e alta de 9,10% para os consumidores da faixa de 65 a 84 anos. Os economistas do SPC Brasil explicam que o aumento da expectativa e a melhora na qualidade de vida  do brasileiro e, consequentemente, a permanência por um período mais prolongado no mercado de trabalho e de consumo é um dos fatores principais que explicam o expressivo aumento da população com idade mais elevada nos cadastros de inadimplentes. “Outros motivos que também impactam a vida financeira deste grupo são a diminuição da renda real com a aposentadoria, o aumento das despesas com remédios e planos de saúde, a facilidade para contrair empréstimos consignados e a prática de emprestar o nome para terceiros realizarem compras a prazo, geralmente familiares”, explica a economista.