Em: Na mídia

Editorial do Presidente do dia 07/02/2020 – O Fluminense

Confira a coluna de Luiz Vieira

Atualmente, o cartão de crédito é utilizado para despesas do dia a dia, como compras de supermercado, de remédios, de combustíveis, roupas e calçados. Mas também em compras grandes, com o objetivo de diminuir o impacto da aquisição de um bem de alto valor. Entretanto, uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que a cada dez pessoas que tentaram adquirir um produto a prazo, duas (21%) tiveram o pedido negado pelo credor.

A análise aconteceu durante o mês de novembro, e aponta como principal motivo da negativa o fato do consumidor estar com nome inscrito em cadastros de devedores (31%) e, em segundo lugar, a falta de comprovação de renda para realizar a compra (17%). Talvez por isso, 57% dos brasileiros não utilizou nenhuma modalidade de crédito, como empréstimos, linhas de financiamento, crediários ou cartões de crédito. Já os 43% que mencionaram ter recorrido, ao menos a uma modalidade, representam um número inferior aos 50% observados no mês anterior a pesquisa.

Esperamos que o Cadastro Positivo transforme essa realidade. Queremos que o bom pagador seja valorizado. E é isso que o projeto propõe: fazer com que uma parcela maior de consumidores, que hoje estão à margem do mercado de crédito, possa ter acesso a empréstimos e financiamentos com condições adequadas ao seu perfil de risco. A disponibilidade de novas informações para análise de crédito possibilitaria uma avaliação de risco mais justa e individualizada. O que deve estimular a competição da oferta de crédito. Unidos somos mais fortes.