Em: Notícias CDLNITEROI

Inflação estoura teto do governo em março

Alexandre Tombini – Presidente do Banco Central

Alexandre Tombini - Presidente do Banco Central

A inflação oficial no Brasil superou o teto da meta oficial traçada pelo governo. Esta é a primeira vez em um ano que isto acontece, deixando mais clara a possibilidade do aumento dos juros. Os alimentos mais uma vez pressionaram a alta dos preços, destacando o tomate, que vem sendo considerado um dos vilões da inflação. A alta da fruta chega a 122,13% em um ano.

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) teve alta de 6,59% nos últimos 12 meses, ficando na maior taxa desde novembro de 2011 quando a inflação chegou a 6,64%. 

JUROS PODEM SUBIR

Com o cenário de alta na inflação, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou em discurso feito na 26ª edição do Fórum da Liberdade, acontecido em Porto Alegre no último dia 8, que novas medidas podem ser necessárias para conter a alta da inflação. “Ações foram tomadas, mas é plausível afirmar que outras poderão ser necessárias. Para decidir sobre isso, o Banco Central irá acompanhar a evolução do cenário econômico”

Observando a situação atual da economia o Banco Central se reunirá na próxima semana para decidir sobre a taxa básica de juros. A meta do Governo para a inflação é de 4,5%, com tolerância de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O mercado vem discutido qual será o momento em que a Selic será elevada pelo Comitê de Política Monetária (Copom). A taxa atualmente registra mínima histórica de 7,25% por cento ao ano. As maiores apostas estão concentradas na reunião de maio, mas alguns investidores não descartam a elevação já no encontro da próxima semana.