Em: Notícias CDLNITEROI

Líderes mundiais do varejo compartilham as lições aprendidas pelo setor na pandemia – Varejo S.A. – 14/04/2021

 

O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), José César da Costa, participou na manhã de hoje (14) da Reunião Anual da FIRA, sigla em inglês da Federação de Associações Internacionais de Varejo. O encontro, realizado virtualmente, reúne líderes e presidentes de entidades do setor de mais de 40 associações, de 24 países, dos seis continentes. Neste ano, o objetivo da reunião foi compartilhar as lições aprendidas pelos países durante a pandemia da covid-19 e a troca de experiências internacionais.

“É fundamental ouvir as expectativas do varejo mundial, sobretudo nesse momento de tantos desafios. A reunião da FIRA é uma grande oportunidade de trocar experiências com líderes de diversos países e de pensarmos juntos soluções para o setor, que tem sido tão impactado em todo o mundo”, destacou o presidente da CNDL.

A reunião contou com a participação do presidente da FIRA, Jacques Creyssel; do presidente da National Retail Federation (NRF), Matt Shay; e do presidente do Alibaba Group, Michael Evans. Pelo Brasil, Marcos Gouvea de Souza e Fabiola Xavier, ambos do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV), compartilharam suas experiências sobre o varejo de alimentos.

Michael Evans, do Alibaba Group, falou que a pandemia forçou muitos negócios, sobretudo os de pequeno porte, a irem para o ecommerce, abrindo um universo de oportunidades. “A digitalização dos negócios veio para reduzir ineficiência e custos e, usando as ferramentas de tecnologias, flexibilizar a atuação das empresas, se engajando mais com os consumidores e compreendendo melhor o que eles realmente querem. E nós somos um marketplace e não um varejista, então, queremos que as marcas e pequenos negócios se engajem diretamente com o consumidor”, ressaltou Evans.

Atacarejo e ecommerce se fortalecem no Brasil
Segundo dados do IDV, apresentados por Marcos Gouvea, em 2020, o comércio eletronico brasileiro teve um crescimento de quase de 74%; lojas de materiais de construção, de 10,8%; eletrônicos e móveis, 10,6%; os mercadinhos e mercearias, 4,8%; e farmácias, 8,3%. Gouvea destacou que o atacarejo e o ecommerce se fortaleceram com a pandemia.

“Levantamentos mostram que 40% do orçamento das famílias brasileiras são direcionado para a compra de alimentos e materiais de limpenza (food and grocery). E o líder deste setor no Brasil é o atacarejo, que cresceu mais de 20% no último ano. Foi o segmento com melhor perfomance em 2020, e segue assim este ano”, contou Marcos Gouvea.

Gouvea ainda falou sobre como os líderes brasileiros do varejo, como Magalu, Via Varejo e B2W – Americanas, estão usando os seus marketplaces para reiventar seus modelos de negócio, ao abrir as plataformas de comécio virtual para as pequenas e médias empresas venderem a partir delas. “Estas companhias estão se movendo rapidamente para se tornar mais relevantes no mercado. Estão redesenhando a estrutura inteira e reconfigurando a divisão do mercado (market share). O ecossistema de negócios brasileiro está cada vez mais diferente de outras partes do mundo, justamente porque os varejistas tradicionais estão liderando estas transformações”, afirmou.

Fonte: Varejo S.A.