Em: Na mídia | Notícias CDLNITEROI

Mercado prevê que crise será superada em 2016

Segundo especialistas, a chegada das Olimpíadas ajudará no ajuste econômico

Apesar dos prognósticos, a crise não deve ser subestimada pelo setor

Foto: Evelen Gouvêa

Para especialistas, a crise no País será superada apenas em 2016 já que o Governo Federal, a partir de agora, tem tomado medidas para o ajuste econômico. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Niterói, Fabiano Gonçalves, a cidade está conseguindo passar pela crise melhor que outros municípios do Estado, e lembra ainda que a Olimpíada será um grande momento econômico, mas ressalta que a crise não pode ser subestimada.

“A crise é real, não podemos esquecer. Muitas lojas foram fechadas, outros comércios não estão conseguindo manter todos os empregados. O custo cresceu muito, ainda mais no comércio que depende da energia elétrica. Nesse segundo semestre de 2015, temos que potencializar o quesito qualificação, que é a única forma de revertemos este quadro. No passo que algumas empresas fecham, as demandas continuam, e alguém tem que supri-las. Temos que ter uma olhar para a oportunidade”, explicou Fabiano Gonçalves que também é economista. Ele completa falando sobre a situação de Niterói. 

“Niterói é um cidade atípica. Temos o setor naval muito forte aqui. Na verdade a cidade como um todo não teve um impacto grande, até porque estamos do lado da capital olímpica. Neste segundo semestre será o momento de contratação das Olimpíadas (serviços e insumos). Eu vejo que Niterói vai passar por esse momento caótico que está vivendo o Estado de uma maneira melhor do que prefeituras que dependem de royaltes ou de repasse do fundo nacional dos municípios. Nossa intenção é melhorar o ambiente comercial de Niterói, para que as pessoas possam se interessar em vir para a cidade. O caminho é desonerar, ao passo que o Governo Federal está onerando”, ressaltou. 

Para o diretor do Grupo de Recursos Humanos da Região Leste Fluminense (RH-LF), Ubiratan Bonino, o momento é delicado. Ele lembrou que há diversos carros parados nos pátios das montadoras e que os problemas estão se agravando. Mas dá dicas para o empresário superar a crise da melhor maneira possível. 

“O primeiro passo para o empresário sair da crise é chamar sua equipe e começar a convergir em um programa para superar a situação, não há tempo a perder. Tudo que foi planejado no passado, você tem que deixar de lado e focar no momento atual que é a crise. Trazer a equipe para o seu lado e partir para o ataque. Não é o momento de esperar. Se você parar, a crise te engole. Tem que ser criado um alto grau de confiança. Acredito que dá para superar a crise, mas 2015 é um ano perdido. Acho que até o final do ano vamos ter perda do PIB, as previsões estão todas batendo. Temos o problema da inflação que está aumentando e o juros também. Acredito que o processo de recuperação começará em meados de 2016, desde que o Governo Federal consiga colocar as coisas no eixo”, esclarece Ubiratan Bonino. 

O diretor do Sistema Firjan, Alexandre dos Reis, vai mais além, falando que estamos passando por duas crises, a econômica e a política, mas que uma terceira começará a partir de agora. 

“A crise tem diversas dimensões, nós vivemos a econômica e não vamos sair dela em 2015 e acho que nem em 2016, em termos de crescimento econômico. Temos a crise política, que já passou pelo seu pior momento e acreditamos que daqui para frente tende a ficar mais estável. E você tem a dimensão financeira que é consequência das duas. Acredito que começará agora no segundo semestre. Ela causa perda de renda e aumento do desemprego, mas acreditamos que com os ajustes fiscais que estão sendo feitos e se o governo voltar a investir, teremos de novo a partir do segundo semestre de 2016 uma retomada no crescimento econômico”, comenta o diretor da Firjan. 

 

Fonte: O Fluminense