Em: Notícias CDLNITEROI

Mudanças no trânsito de Niterói geram prejuízos à atividade comercial

A proibição de estacionamento na Rua Gavião Peixoto está gerando prejuízo aos comerciantes locais, além da Avenida Roberto Silveira que a partir do dia 13 de fevereiro será mão única em direção à Ponte. A Rua Ministro Octavio Kelly terá o trânsito contrário, e a Praia de Icaraí terá sentido único a São Francisco. A Rua Mem de Sá passará a ter o sentido do Campo de São Bento e a proibição do estacionamento.

De acordo com o presidente da CDL /Niterói, Fabiano Gonçalves, que conversou com alguns lojistas, uma atitude tinha que ser tomada com urgência, pois a queda no movimento está deixando os comerciantes locais assustados.

A maior reclamação dos clientes é a falta de vaga para estacionar o carro, o que dificulta o acesso às lojas para as compras, gerando um grande prejuízo no mês de dezembro, quando guardas de trânsito já estavam proibindo o estacionamento. Além das vendas, a valorização de pontos também vai diminuir.

Fabiano acredita que faltou, por parte do poder público, ouvir a opinião da CDL com relação às alterações no trânsito, como sempre foi de praxe em governos anteriores, até mesmo para que a entidade pudesse colaborar na implementacão das ações.

No dia 16 de janeiro, foi realizada uma reunião no restaurante Tratoria Torna, com a presença de Fabiano Gonçalves e comerciantes da Gavião Peixoto. Ali foram discutidas soluções para melhoria do transito em relação às lojas, assim como carga e descarga. As opções destacadas na reunião foram levadas ao presidente da Niterói Transportes e Trânsito (Nittrans) Sérgio Marcolini, que na presença do presidente da CDL Niterói e mais dez empresários, prometeu estudar as idéias encaminhadas como: a viabilização de manobristas de estacionamento nas ruas adjacentes, a construção de mais baias para carga e descarga de mercadorias, embarque e desembarque de passageiros e a flexibilidade de horário para estacionar na via, no caso das 20h às 09h, além de sábados e domingos serem liberados.

Em relação às multas aplicadas nesse período em que não houve adaptação, devem ser recorridas na Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari).