Em: Notícias CDLNITEROI | Slideshow

Noi Cervejaria – Mistura Apurada

[tabs slidertype=”images”] [imagetab width=”960″ height=”500″]http://www.cdlniteroi.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/noi-cdl-01.jpg[/imagetab] [imagetab width=”960″ height=”500″]http://www.cdlniteroi.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/noi-cdl-02.jpg[/imagetab] [imagetab width=”960″ height=”500″]http://www.cdlniteroi.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/noi-cdl-03.jpg[/imagetab] [imagetab width=”960″ height=”500″]http://www.cdlniteroi.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/noi-cdl-04.jpg[/imagetab] [imagetab width=”960″ height=”500″]http://www.cdlniteroi.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/noi-cdl-05.jpg[/imagetab] [/tabs]

 

[one_third]

Quem poderia imaginar que um sommelier, neto de italiano, um dia se encantaria pela bebida mais amada dos brasileiros, a cerveja. E quem imaginaria que a mistura daria tão certo, a ponto de Osmar Buzin, dono na cervejaria Noi, transformar o ato de reunir os amigos em volta de um copo de cevada, em verdadeira arte da degustação. Pois é, isso aconteceu.

[/one_third] [one_third]

O nome, que dá status à nova cerveja no mercado é uma palavra italiana, em português significa ‘nós’. E pode ser consumida sem pecado, simplesmente: uma cerveja para mim, para você, para nós, conforme seus criadores gostam de dizer. Algo novo até mesmo para Osmar Buzin, antes um amante dos vinhos. O empresário, que assegura nunca ter entrado em um bar para pedir uma cerveja, durante 14 anos dedicou-se fielmente aos vinhos. Até que um dia experimentou a cerveja artesanal ‘Colorado’ fabricada em Ribeirão Preto, interior de São Paulo e caiu de amores.

[/one_third] [one_third_last]

Com o aval da Ambev, Osmar sentiu uma enorme vontade de produzir o líquido e hoje não se arrepende, embora a família tenha ficado apreensiva com o novo negócio. “Minha mulher é cervejeira e, as cervejas da Noi viraram celebridade e são a bola da vez nos meus restaurantes”, afirma.

Para quem um dia, não muito distante, só teve olhos para as uvas, Osmar admite que caiu em tentação e traiu o antigo amor. “Eu gosto de vinho, mas descobri que as cervejas Rossa, Bianca e Nera, fabricadas aqui na Noi, são as minhas preferidas”, confessa.

[/one_third_last]