Em: Notícias CDLNITEROI

Oportunidade empreendedora

Depois do projeto Empresa Bacana, Niterói vai receber, até o fim do mês, a Casa do Empreendedor, que vai funcionar no Centro

Casa do Empreendedor será instalada no Bay Market

Em entrevista dada ao jornal O Fluminense, Fabiano Gonçalves, presidente da CDL e  secretário de Desenvolvimento Econômico de Niterói, falou sobre a nova Casa do Empreendedor, que será instalada no centro da cidade. Confira abaixo a matéria na integra. 

Oportunidade empreendedora

Após o sucesso do projeto ‘Empresa Bacana’, uma realização do Sebrae e em parceria com a Prefeitura, que aconteceu no mês passado em Niterói, a cidade vai receber, até o fim do mês, a Casa do Empreendedor, que funcionará dentro do Shopping Bay Market, no Centro. O espaço contará com cursos periódicos de qualificação de mão de obra e de reciclagem, palestras e oficinas, além de contar com assessorias voltadas para a necessidade do empreendedor niteroiense.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Fabiano Gonçalves, a iniciativa será disponibilizada para todas as camadas sociais que empreendam na cidade. “Temos também o desafio de construir uma unidade móvel deste serviço, que funcionará como um Espaço do Cidadão Itinerante para visitar as comunidades uma vez por mês”, afirmou.

A estimativa é de que aproximadamente 4 mil empreendedores niteroienses desenvolvam atividades variadas no município. Deste montante, apenas 300 microempreendedores com posse de alvará são registrados. Baseado nestes dados, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico realizou entre os dias 1º e 6 de abril o projeto ‘Empresa Bacana’, uma ação interdisciplinar da Prefeitura de Niterói com participações das secretarias de Fazenda, Vigilância Sanitária, Postura, e de Urbanismo, em parceria com o Sebrae. O principal objetivo da ação foi registrar como MEI (microempreendedor individual) os niteroienses que estão em atividade informal na cidade.

Na primeira edição do projeto foram atendidos 4.300 niteroienses, 390 comerciantes recenseados, 550 empresas abertas e 305 alvarás entregues. Agora, os empreendedores, poderão participar de licitações, fornecer para grandes empresas, contratar até um empregado e fechar convênio com Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e contratar estagiários. O empreendedor enquadrado no MEI tem um teto de faturamento de até 60 mil reais por ano.

De acordo com Fabiano Gonçalves, o próximo passo será construir uma vitrine para os beneficiados pelo projeto. “Todos que se formalizaram no Empresa Bacana, vão fazer parte de um catálogo de prestadores de serviço e comércio que iremos lançar na próxima etapa do projeto, com ampla distribuição em todo o estado. Desta forma os empreendedores poderão prestar serviços e emitir nota fiscal, desonerando os contratantes dos 20% do INSS caso fosse contratar por RPA, além de ter um serviço prestado por uma empresa legalizada.”

Fonte: O Fluminense