Em: Notícias CDLNITEROI | Slideshow

Ponto Eletrônico já controla a jornada de trabalho

Adiada por cinco vezes, entrou em vigor no dia 2 de abril, a obrigação de comerciantes controlarem a jornada de trabalho de seus empregados por meio de métodos eletrônicos através de sistema implantado pelo Ministério do Trabalho.

A nova exigência, mal recebida pela atividade comercial, prevê um relógio, munido de impressora (que emite recibos a cada entrada e saída de empregados) e memória para armazenamento de dados. De acordo com notícia do Jornal do Comércio, a medida está valendo inicialmente para setores da indústria, do comércio em geral e serviços, bancos, construtoras, empresas de comunicação, energia, saúde e educação.

A partir de setembro vindouro será a vez de micros e pequenas empresas se submeterem ao novo tipo de fiscalização.

A nova exigência desagrada o setor produtivo, obrigado a enfrentar gastos com equipamentos, e, segundo o empresariado, o sistema em questão é inviável para o controle de jornada à distância.

Todos os empregadores com mais de dez funcionários são obrigados a controlar a jornada de trabalho, seja por meio manual, mecânico (relógio de ponto) ou eletrônico. A nova exigência desagrada o setor produtivo, obrigado a enfrentar gastos com equipamentos, e, segundo o empresariado, o sistema em questão é inviável para o controle de jornada à distância.Segundo a Confederação Nacional da Indústria, há 565 mil empresas no País, com mais de dez empregados.