Em: Notícias CDLNITEROI

Região Oceânica e o problema da violência

No início de abril, moradores da Região Oceânica se uniram, sob o comando da Câmara de Segurança local, presidida por  Renan Lacerda e com o apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas, através da participação de seu presidente, Fabiano Gonçalves, para a realização de um protesto contra a violência na região.

Em passeata os manifestantes, com o apoio de carro de som e exibição de faixas, percorreram várias ruas da localidade e gritavam palavras conclamando mais ação das autoridades no policiamento contra a bandidagem. No rol das reivindicações feitas pelos manifestantes, estava o aumento do efetivo da Polícia Militar em toda a Região Oceânica; a transformação da 81a DP em uma Delegacia Legal e a concretização de um projeto de monitoramento através de câmeras eletrônicas.

Para o presidente da CDL, Fabiano Gonçalves, que participou da manifestação, “o protesto teve como principal objetivo, cobrar das autoridades, atitudes positivas e urgentes contra a ação criminosa que vem prejudicando moradores e comerciantes. A grande adesão que marcou a nossa reclamação foi prova de que os habitantes da Região Oceânica não aguentam mais tanta insegurança” – concluiu.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói apresentou, em 13 de Abril, uma proposta para instalar 32 câmaras de segurança para monitorar a Região Oceânica, orçada em R$ 1 milhão. Os secretários estaduais de Trabalho, Sérgio Zveiter, e de Assistência Social, Rodrigo Neves, futuros adversários na disputa pela prefeitura da cidade, estão de olho no apoio dos lojistas. 

Zveiter esteve presente ao encontro, e Neves mandou representantes.  O secretário de Trabalho vai pedir à Assembleia Legislativa R$ 500 mil para o projeto.  Já o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Felipe Peixoto, que também esteve na reunião, se comprometeu a conseguir o restante da quantia junto ao governador Sérgio Cabral.