Em: Notícias CDLNITEROI

Resultado fiscal volta ao azul com melhor janeiro em quatro anos

Interrompendo dois meses seguidos de resultado negativo, o governo central (formado por Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registrou um superávit primário (economia para pagar os juros da dívida) de R$18,968 bilhões em janeiro, representando o melhor resultado para o mês em quatro anos. Os dados foram divulgados pelo Tesouro Nacional nesta quinta-feira (23).

Em janeiro, o resultado foi ainda maior que o registrado no mesmo mês do ano passado, quando o  governo central obteve um superávit de R$14,835 bilhões, com o impulso de recursos provenientes da venda de usinas hidrelétricas.

O incremento de R$ 2 bilhões nas receitas provenientes da exploração de petróleo contribuiu positivamente para o resultado deste mês. O valor representa um aumento de 57,2% em relação a janeiro de 2016. Segundo o Tesouro Nacional, isso ocorreu principalmente por conta do aumento na produção e no preço internacional da matéria-prima.

Além disso, o relatório explica que houve menor pressão fiscal no lado das despesas devido às medidas de equilíbrio das contas públicas implementadas pelo governo federal. De acordo com o Tesouro Nacional, esse processo ocasionou na redução em R$ 13 bilhões no pagamento dos “restos a pagar” – como são chamadas as despesas não pagas até o último dia do ano corrente.

Ao decompor o resultado do governo central, o Tesouro Nacional obteve um superávit de R$ 32,478 bilhões e o Banco Central registrou um déficit (quando as despesas são maiores que as receitas) de R$ 138,3 milhões. Já a Previdência Social observou um desempenho negativo de R$ 13,372 bilhões.

Fonte: Portal Brasil